Metrô é trocado por monotrilho e desagrada usuários do transporte

24 Mar

Moradores da região de Vila Prudente e Cidade Tiradentes, região afetada pela medida estatal, organizam encontro na Câmara de SP

Marcio dos Anjos
Fotos: Douglas Alves Mendes

Os R$ 21 bilhões investidos no programa, do governo e da prefeitura paulistano, “Expansão de SP”, que pretende expandir a malha metroviária para as regiões metropolitanas (http://www.expansao.sp.gov.br/oprojeto.php), e reformar antigas estações (http://www.youtube.com/watch?v=RsS5KVAuSPw), parece não causar bons efeitos na população (http://www.chicomacena.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=456&Itemid=67). Além de acusarem Serra por “propagandismo” (http://www.paulohenriqueamorim.com.br/?p=28378), o programa estatal não está agradando também os moradores dos distritos de Vila Prudente e Cidade Tiradentes. O que motivou, nesta segunda (22), a palestra “Metro x Monotrilho”, ocorrida na Câmara Municipal de São Paulo, organizada pelo PT e PC do B da mesma Casa.
Os mais de 300 moradores, que lotaram o auditório da Câmara, protestaram contra a medida de Serra e Kassab, a qual pretende implantar, ao invés de metrôs padrões, monotrilhos – espécie de trem com pneus que trafega em vias elevadas -, no trecho da Linha2 Verde (trecho Vila Prudente-Cidade Tiradentes).

Pouca integração
“Por mais que sejam importantes os investimentos, é necessário pensar em políticas de planejamento que facilitem a integração e priorização do transporte público”, afima um dos palestrantes, Carlos Bicarlho,superintendente da ANTP (Associação Nacional dos Transportes Públicos).
Bicarlho ainda afirma que os órgãos do governo – CET, Secretaria de Transpportes, etc. – têm priorizado o transporte público e, em contrapartida, falhado na política de transportes. “Nós precisamos saber se, numa rua que é pública, nós daremos prioridade ao transporte público, que leva muitas pessoas, ou ao transporte privado, que leva poucas”, completa.
Ao que o vereador João Antônio (PT) concorda: “A atual gestão [se referindo a do DEM, na prefeitura, e do PSDB, no governo] não tem dado relevância para uma política de planejamento que integre os transportes”, coloca. “A cidade tem uma dependência estrutural para com a melhoria do sistema de transporte coletivo”, termina.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: